desenho malhaçãoToda forma de atividade física é bem vinda, seja na acadêmia, nos parques, escolas, faculdades e até no trabalho. Pouco se sabe sobre atividades físicas no trabalho, mas muitas empresas estão preocupadas com o rendimento e a saúde mental e física de seus funcionários.

Temas como a saúde do trabalhador são debatidos entre empresas, diretores, sindicatos a todo instante e são conversadas com organizações que cuidam do direito dos trabalhadores.

A Ginástica Laboral surgiu como uma alternativa para que empresas e colaboradores não tenham prejuízo e possam cuidar mais de sua saúde. Por ser um atividade voluntária, as pessoas desconhecem o funcionamento dessa modalidade e por vezes não participam das atividades quando as empresas trazem profissionais para lecionar aulas.

Uma pesquisa feita pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) mostrou que 62% da população brasileira não pratica nenhuma atividade física e que o sedentarismo torna-se cada vez mais comum entre os jovens e os adultos.

A monotonia que sentimos no trabalho, no final do expediente por exemplo, acaba transformando-se em sedentarismo por não termos a atitude de fazer qualquer esforço físico, por menor que seja.

Ficar sentado o dia inteiro, digitando em uma tela de computador e vivendo estressado a semana inteira é mais uma prova de que estamos deixando nossa saúde de lado. Trabalho e atividade física será sempre a melhor opção!

Chega de sofrer com dores musculares, lesões nas juntas e de viver estressado a semana inteira, aprenda a relaxar e conservar seu corpo com a Ginástica Laboral, porque seu próximo passo será conhecer essa modalidade . Deixe a preguiça de lado e venha praticar conosco!

Onde começou?

Como forma de prevenção contra problemas causados por lesões musculares e demais distúrbios relacionados ao trabalho, a ginástica laboral surgiu como uma nova modalidade de atividade física.

Quando foi criada a Ginástica Laboral era conhecida como “Ginástica de Pausa” e vestígios apontam que a atividade iniciou-se na Polônia em 1925. Mais tarde, Holanda e Rússia aderiram a modalidade. Na década de 60 outros países da Europa foram atingidos pela nova modalidade e logo depois o Japão, onde a consolidação foi feita e tornou-se obrigatório GLC – Ginástica Laboral Compensatória.

Em 1973, a ideia foi implantada no Brasil, na escola de educação Feevale com um projeto de educação Física Compensatória e Recreação.

Keneth Cooper entende ter trazido para a medicina o conceito de exercício que dá saúde e alegria ás pessoa. (Marchesini, 2002).

desenho homem escritório

A ginástica laboral veio com a ideia de suprir, em partes, esta necessidade de “espaço e liberdade”, de quebra de ritmo, tentando trazer um clima de descontração e boa saúde para o dia-a-dia do trabalhador.

É necessário realizar atividades deste tipo, que agreguem todos os funcionários. De acordo com a organização do trabalho a rigidez e monotonia do trabalho atacam primeiro e maciçamente a vida mental dos indivíduos. Assim acaba ocorrendo um desgaste bem maior devido ao esforço para manter-se sob controle.

Quando os trabalhadores começam a se exercitar, praticar dinâmicas juntos, descansar da tensão e do estresse causados por uma rotina de trabalho pesada, eles produzem mais. A ginástica laboral também serve para preencher uma carência de atenção e valorização das pessoas , sendo percebida como uma diferença da empresa para com eles e um sinal de humanização do ambiente de trabalho.

Atualmente, não se continua competitiva no mercado a empresa que não preocupa com a qualidade de vida de seus funcionários, visto que a produtividade é diretamente proporcional à saúde do indivíduo. E é no âmbito de promover saúde mental, amenizando o estresse, e física, combatendo os males como sedentarismo e esforços repetitivos que a tecnologia proporciona, é que a ginástica laboral tem sido uma importante alavanca nesse processo. ( PAGLIARI,2002)